domingo, 29 de novembro de 2009

Mude


Sou poeta nas horas vagas
Vagantes em minha cabeça
Tão castas essas horas vastas
Que são vastas essas horas castas

Sou poeta de tempos em tempos
Como os ventos me reinvento
Eu mudo o mundo, mudo de casa, eu me mudo
Agora por exemplo mudei-me, sou mudo

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Quando Exausto


Às vezes canso-me das pessoas
Enjoam-me as más, as boas
Afligi-me a preocupação que têm com suas roupas
Sem serventia são as palavras de suas bocas

Pessoas são apenas monótonas
Sempre e sempre dedutíveis
Pessoas são apenas encantadoras
É um encanto como são previsíveis

Sufocam-me por me olhar de um jeito
Parecem querer algo que eu tenho
Como se quisessem a minha alma
Que moldei com tanto empenho

Pessoas esperam que eu aja
De modo que convém a elas
Pessoas esperam que eu aja
De modo a surpreendê-las

Às vezes as pessoas cansam-me
Querem de mim, a mais profunda sinceridade
Exigem de mim, a mais conveniente verdade
E desse jeito me fazem mentir
Esgotam-me e nem quero sorrir

Estes tristes seres que aí estão
Querem meu bem querem meu mal
Ditam como tenho que ser, viver, morrer
Mas nunca sabem como fazer

Às vezes canso-me das pessoas
Às vezes as pessoas cansam-me
E quando cansado desses absurdos
Escolho um canto, sento-me ali e fico mudo

................................................................................
O moçada andei meio sumido né? Culpem os vestibulares, mas to aí novamente postando e comentando.