domingo, 25 de outubro de 2009

Enquanto proibidos....

Não tenho medo nenhum de me expor de mostrar as cicatrizes e os pecados ao contrario de ti

Somos diferentes

Não tenho medo nenhum de me expor sou isso, sou fogo

Queimo, devasto, tomo vários caminhos,

Fujo do controle e devoro florestas, levo grandes construções ao chão

E assim amedronto-te

Mas também aqueço ilumino e trago progresso

Tu és água corres sempre na mesma direção, deságuas, congela-se dentro de si, foges, evapora-se

Quando tu estás cheia, sem nada mais agüentares, rompes-se e choves e é quando és mais visível


Se te tocam, usam-te, bebem de ti e não deixam nada, me entristecem e tu não notas

Se me tocam, queimam-se, arrependem-se

Se me tocas apaga-me, se toco em ti apago-me

Enquanto queimo e devasto, tu evaporas-se e choves apagando-me

Ouça: se assim que é, é assim que será; distantes, ouviste?

A distância é o melhor entre nós

Enquanto tu fores água e eu fogo


.......................................................................................................


Ficou feio o corpo do poema, mas é pelo modelo do blog.



quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Numa Distração de Segundos


Ontem no trânsito, cometi um barberagenzinha, estava num desses dias que a gente se distrai por qualquer bobeira e repentinamente após uma buzina provavelmente violentada pelo seu dono, ouvi um berro semi-humano:
-Tá querenu u que da vida irmauUUUuuUUUUuuuUuUuUuUuUUUUuUUuuuuUuUUuUuUUn?

E sei lá por que caí em reflexão por uma perguntinha dessas.
-O que estou querendo da vida?- Naquele momento parado no sinal, comecei a responder com minha imaginação. Em primeiro lugar me vi longe de tudo, do emprego, dos estudos, não que eu seja vagabundo, porém essas ações se tornaram maçantes de mais, as vejo apenas como um processo de alienação que vem tomando proporções cada vez maiores e nos deixando à beira de um surto. Nessa vaga viagem abandonei também celular, computador, TV e queimei os documentos não preciso de ninguém ditando como devo viver. Depois de livrar minha alma desses tormentos arranjei uma mulher simples e eu não precisava dizer o tempo todo o quanto a amava, pois ela sabia. Entretanto quando ela precisava ouvir “eu te amo” (todo mundo precisa) bastava declarar um poema e dar-lhe carinho. Ela sabia sambar e dançar forró e me ensinou dessa dança. Cozinhava muito bem, todavia fazia biquinho quando eu dizia que, sua comida ficava em segundo lugar depois da comida de minha mãe e logo se animava quando dizia que o café forte dela era sem igual. Quando ficava nessa inconstância que as mulheres ficam de TPM, eu apenas a abraçava forte e pronto. Como toda mulher de vez em quando fingia orgasmo. Até mesmo nossas brigas eram perfeitas. Tivemos dois filhos de olhos curiosos, crianças simples gostavam de livros e não de vídeo games. Os pequenos quiseram logo um cachorro vira-lata, chamado vira-lata. Enfim uma mulher simples que me completava e uma família linda. Minha mente nem se preocupou em criar uma visão física. Comprei um fusca, pois não há carro melhor, era meio barulhento amava-o mesmo assim. Peguei a mulher e as crianças, o cachorro e fomos pra longe do cinza e das cinzas da cidade. Passamos a morar numa casinha de sapé, lá plantávamos verduras, legumes e havia no fundo do quintal um pomarzinho. Perto da casa tinha um rio e vez ou outra, a gente seguia pra lá, eu tocava um violão, a mulher cantava, as crianças traquinavam não iam muito longe pra não se perderem, o cachorro perseguia e era perseguido por insetos. A gente contemplava a lua deitados na grama, os três com a cabeça em meu peito, e no radinho velho, ouvia-se sempre música brasileira. Nos dias frios era um bom lugar pra se ler um livro. E a gente envelhecia sutilmente e aceitando a idéia de que a morte vem, e que é a mais triste tolice prorrogá-la. A vida pareceu doce com sonhos fáceis de sonhar, nada de estudar por anos ou trabalhar por horas ou ser obrigado a roubar ou seguir cegamente uma religião ou mais uma série de “ous”. A vida é isso, a vida está nas coisas simples, porque há uma descomunal complexidade no que é simples. E eu estava ali respondendo o que queria da vida e quase podia tocar a mulher suave, as crianças espertas, o fusca sem luxo, o cachorro feinho, a casinha completa, o radinho velho, os sonhos fáceis... Aí o sinal ficou verde...

15/10/09

segunda-feira, 19 de outubro de 2009



"Não tenho vergonha de dizer que estou triste,

Não dessa tristeza ignominiosa dos que,

Em vez de se matarem, fazem poemas:

Estou triste porque vocês são burros e feios

E não morrem nunca..." (Mario Quintana)

P.s Sou péssimo com o Photoshop




sábado, 17 de outubro de 2009

Refúgio


Lembrar dos olhos teus
Faz-me sentir insigne dor
Tu distanciando-se de mim
Causa-me sofrimento por um desconhecido amor

Sei que pensou que eu seria um bom amparo
Deu-me tantas chances
Fugi do seu alcance
Isso porque não me dei chances

Que culpa me tenho por obscuros segredos?
Pela primeira vez tive medo
É que teu jeito despiu a minha alma
Respirava fundo e não encontrava calma

Nossos olhos dançavam tão bem juntos
Sei que não entende
Ah! Como me arrependo
Creia também não entendo

Oh!Meus dias foram e estão tão pesados
Agora percebo seriam melhor ao seu lado (?)
Tu procurando refúgio e não vi o meu
Estaríamos completos eu seria tu e tu serias eu

Estive e talvez por opção, sozinho e perdido
Infelizmente sempre me encontro quando há dor
Mas um dia, vou aprender a me encontrar
Quando houver amor

Enquanto aguardo este dia
Provarei e darei a outras bocas a hipocrisia
E às vezes vou pedir em oração
Pra que venhas e se vieres então
Encontrará um lugar seguro em meu coração

Fiz este poema, porque, todo mundo já perdeu um refúgio ao mesmo tempo em que deixou de ser refúgio pra alguém. "A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida", já dizia o Poetinha. Tais desencontros acontecem, pois talvez seja a hora para um, mas não para o outro e no fim os dois desencontrados, desencantados e desentendidos, acabam pensando um do outro “como ele é egocêntrico”, e assim, acabam realmente sendo egocêntricos. Cada um não se entende por si só e não abre espaço para que o outro possa se entender. Porém creio que além de encontros e desencontros, haja ainda os reencontros.
..................................................................................

Já havia postado essa aqui, tinham achado bonito, entretanto apaguei. To postando de novo só que não faz mais sentido. Acho que nunca fez e até me atormenta a idéia de um reencontro.E como o poema Altruísta tem total ligação com esse outro, vale a mesma observação:já não faz sentido.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

I like what is wrong.


Tenho certo desprezo pelas coisas normais
São entediantes de mais
Odeio ver tudo organizado em seu lugar
Fica tão difícil de encontrar, me encontrar

Não gosto daquele cheiro de novo
O novo não tem boas histórias pra contar
Gosto de coisas velhas do passado
Da madeira manchada e do metal enferrujado

E como me agrada o barulho da porta sem óleo
E o som das engrenagens desajustadas de um relógio
Não troco meu tênis desbotado
Por nenhum que seja importado

É indispensável minha velha calça jeans
Minha larga camiseta do Raul e o All Star sujo
Do terno, da gravata, das normas de etiqueta eu fujo

Que porcaria é essa de foto editada
Amo polaróide, rosto embaçado, olho vermelho
Há quem prefira no azul por aí
Fazer biquinho em frente o espelho

Entretém-me o que é feio e sem graça
Como quadros, pessoas e insetos*
Caminho certo e sozinho
Por caminhos sempre incertos

(quase) Nunca freqüento lugares badalados e luxuosos
Não que eu goste de lixo, só não gosto do que reluz
Prefiro lugares quase vazios, quase cinzas
Um pouco sujos e meios sem luz

Não há nada de maior sabor que a feijoada requentada
Que o vinho tinto envelhecido
Não quero saber de um novo amor
Quero os antigos não correspondidos

Deixo as meninas mais novas gostarem de mim
Prefiro garotas maduras que sabem o que quer
Maduras equilibradas isso me satisfaz
Nada de menininhas perdidas e sentimentais

O colorido de mais, me enjoa
Prefiro o preto, o cinza, o desbotado de qualquer cor
Antes um homem vivo e odiando
Do um homem morto de amor

Bebo Café Forte e nunca bebo chá
Misturo fermentados e destilados
E assim fico caído do outro lado

Às vezes pra não entrar em conflito
Cometo secretamente um ato ilícito
Se eu uso uma droga é pra não desesperar
Só não deixo ela me usar

Gosto sim de cutucar uma ferida
Seja da minha pele, seja da minha vida
Aquela tarde de frio, chuva e medo
Ainda é minha preferida

Não suporto ver o povo aí parado
Conformado com tal realidade
Destruidora ou não
Sou a favor de uma revolução

Tenho total desprezo pelas coisas normais
Gosto friamente do caos, do errado, do estrago, do que dói, do que não presta
Sim é isso que me interessa
É isso que me resta.



*canvenhamos são mais interessantes.

Meus poemas têm ficado grandes, mas isso nem vem ao caso e acho que esse lembra um pouco Clarice Lispector.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O sabor do orgulho


Estragamos tudo por um orgulho ridículo
Até as coisas mais belas
Até o desejo mais intenso
Até as coisas sinceras

Criamos o mais tolo preconceito
Pra defendermos orgulhosamente
Os fortes alicerces de um conceito

Sufocando nosso querer altruísta
Esse orgulho ridículo deixa-nos egoístas
O orgulho é como uma armadura de diamantes
Que nos impede de ser de noite ou de dia amantes

Estragamos tudo por um orgulho ridículo
Julgamos
Criamos um preconceito
Tiramos um direito
Inventamos um defeito

Ele deixa-nos inutilmente arrogantes
A ponto de acabar com um olhar tão perseverante
Orgulhosos, damos um nó na fé de qualquer um
Acabamos com algum suspiro de esperança, com algum

Por orgulho a gente põe numa pessoa um defeito
Por exemplo, falta de atitude em quem apenas sofre de timidez
Tiramos assim dela um direito
E contra um sentimento tão triste que é a timidez agimos com tamanha rigidez

Estragamos tudo por um orgulho ridículo
Deixamos de sermos nós mesmos
Acabamos antes de começar com um amor
Fingimos erroneamente ser fortes e não sentir dor

O orgulho faz resplandecer pra fora
O que não somos por dentro
É inventar uma história, um alguém, alguma coisa
Pra negar a fraqueza de um momento
O orgulho é vaidade que esconde a verdade
E por uma bobeira
Não permite que voltemos atrás
Do que nos satisfaz

O orgulho não lhe permite perdoar ninguém
Mesmo que você seja esse ninguém

O orgulho sai de você para uma pessoa
E magoa
E volta da pessoa a você pra que possa aprender
E sentir o gosto amargo do dissabor que é
Se arrepender


Não crie um préconceito antes de conhecer alguém. Descubra o que pessoa - é- e não invente, com certeza aquela pessoa é bem melhor e diferente do que você acredita.
Não crie um conceito tão forte que possa escravizar, endurecer ou cegar você.
Não seja orgulhoso sinta e demonstre um sentimento, perdoe , peça perdão, saiba que nem sempre estará certo (sim as vezes isso é insuportável), saiba que ceder às vezes não significa fraqueza ou talvez signifique, mas sentir-se fraco não significa que não seja forte, pois muitas vezes a força e o amadurecimento vêm da dor, da derrota ou da fraqueza. Não vale de nada bater no peito se escondendo atrás de uma armadura, pois a nobreza está em lutar. E renunciar uma vitoria também pode trazer proveito a si mesmo, porque no fim é melhor perder a “luta” do que a “vida”.
Não deixe o orgulho tomar conta de você, ele é um medo duplicado e traz conseqüências piores que o medo simples.
Não deixe o orgulho tomar conta de você, ele é um egoísmo duplicado e traz conseqüências piores que o egoísmo simples.
Não deixe com que o orgulho faça você se arrepender de algo do qual não precisou ser.

sábado, 10 de outubro de 2009

É ou não é?

Nada como acordar numa manhã de sábado sem ressaca, ou que seja abraçado com ela a beira do vaso, mas tem que ser ouvindo essa musica (pelo amor de Deus não vale a versão da Britney) todos comigo:

Singin' I love rock and roll
So put another dime in the jukebox baby
I love rock and roll
So come on take some time and dance with me

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Ouvir Jorge Ben faz bem!!!


Por que É Proibido Pisar Na Grama?
Jorge Ben Jor

Acordei com uma vontade de saber como eu ia
E como ia meu mundo
Descobri que além de ser um anjo eu tenho cinco inimigos
Preciso de uma casa para minha velhice
Porém preciso de dinheiro pra fazer investimentos
Preciso às vezes ser durão
Pois eu sou muito sentimental meu amor

Preciso falar com alguém que precise de alguém
Prá falar também
Preciso mandar um cartão postal para o exterior
Prá meu amigo Big Joney
Preciso falar com aquela menina de rosa
Pois preciso de inspiração

Preciso ver uma vitória do meu time
Se for possível vê-lo campeão
Preciso ter fé em Deus
E me cuidar e olhar minha família

Preciso de carinho pois eu quero ser compreendido
Preciso saber que dia e hora ela passa por aqui
E se ela ainda gosta de mim
Preciso saber urgentemente:
Por que é proibido pisar na grama?


P.S.É só no meu blog que sumiu quase todas as formatações e configurações de postagem e texto.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

obviedades


Deus criou o Homem, o Homem o Microondas. E assim como um microondas obviamente não pode ser um Homem, um homem não pode ser DEUS. O problema é que esse tal homem é teimoso.

domingo, 4 de outubro de 2009

sobre pingüins


Depois de tanto duvidar chega uma hora que você acredita nisso, mas aí vem a vida, te da um soco uma sacudida, pra recordar de quem você é, foi e será e você se lembra que sempre esteve certo;crer NISSO é um erro .

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Diga Bom Dia Pessoa

Boa bia é simples dizer. Hoje chegando ao trabalho disse um bom dia pra senhora que varria a calçada e ela abriu um sorriso enorme e sinceramente preencheu minha alma. Diga bom dia pessoa não lhe custa nada e ninguém vai te bater. Nunca disse um bom dia em que me retribuíssem mal, tipo “o que tem de bom nele” ou “só se for pra você”. Pelo contrário as pessoas como a sorridente velhinha gostam de ouvir um bom dia. Dificilmente retribuirão mal, pode até ser que digam de cara meio fechadas ou mesmo só com um cumprimento de cabeça. Mas acredite muitos até suspirarão fundo e pensarão ”nossa alguém notou que eu existo” e também “nossa que jovem educado” e ainda “nossa que gatinho (a)”.
Então pessoa, se você for uma pessoa, diga bom dia e tenha certeza que só vai ganhar. Se realmente for uma pessoa vai sentir prazer se te disserem bom dia de volta com um sorriso, um elogio ou uma cantada.

Regras para se dizer bom dia:
-Um sorriso no rosto
-Voz alta em tom animado
-Nunca se obrigue a dizer


Bom dia
!!!