sábado, 17 de outubro de 2009

Refúgio


Lembrar dos olhos teus
Faz-me sentir insigne dor
Tu distanciando-se de mim
Causa-me sofrimento por um desconhecido amor

Sei que pensou que eu seria um bom amparo
Deu-me tantas chances
Fugi do seu alcance
Isso porque não me dei chances

Que culpa me tenho por obscuros segredos?
Pela primeira vez tive medo
É que teu jeito despiu a minha alma
Respirava fundo e não encontrava calma

Nossos olhos dançavam tão bem juntos
Sei que não entende
Ah! Como me arrependo
Creia também não entendo

Oh!Meus dias foram e estão tão pesados
Agora percebo seriam melhor ao seu lado (?)
Tu procurando refúgio e não vi o meu
Estaríamos completos eu seria tu e tu serias eu

Estive e talvez por opção, sozinho e perdido
Infelizmente sempre me encontro quando há dor
Mas um dia, vou aprender a me encontrar
Quando houver amor

Enquanto aguardo este dia
Provarei e darei a outras bocas a hipocrisia
E às vezes vou pedir em oração
Pra que venhas e se vieres então
Encontrará um lugar seguro em meu coração

Fiz este poema, porque, todo mundo já perdeu um refúgio ao mesmo tempo em que deixou de ser refúgio pra alguém. "A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida", já dizia o Poetinha. Tais desencontros acontecem, pois talvez seja a hora para um, mas não para o outro e no fim os dois desencontrados, desencantados e desentendidos, acabam pensando um do outro “como ele é egocêntrico”, e assim, acabam realmente sendo egocêntricos. Cada um não se entende por si só e não abre espaço para que o outro possa se entender. Porém creio que além de encontros e desencontros, haja ainda os reencontros.
..................................................................................

Já havia postado essa aqui, tinham achado bonito, entretanto apaguei. To postando de novo só que não faz mais sentido. Acho que nunca fez e até me atormenta a idéia de um reencontro.E como o poema Altruísta tem total ligação com esse outro, vale a mesma observação:já não faz sentido.

3 comentários:

Heloísa Vilela disse...

Eu não me entendo, sempre deixo de ser o refúgio das pessoas... Tem dias que eu até me julgo insensível!
Ah, muito obrigada pelos comentários, fiquei lisongeada.
A propósito, você escreve muito bem...

Beijos

- Lorenna R. disse...

"É que teu jeito despiu a minha alma
Respirava fundo e não encontrava calma"

Me deslumbra logo.. rs
*-*


Apesar de não acontecer muito, reecontros seriam bons pra mim. Mudar impressões deixadas me deixa com um ar mais.. leve!

Daniela disse...

Que lindo *-*
Gostei daqui ..
Legal nossas preferências profissionais. Eu faço teatro há uns 4 anos. Gosto muito. Psicologia tbm é uma paixão :D
bjs