segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Nesse ano aprendi QUASE tudo isso


"Depois de algum tempo você aprende que amar não significa apoiar-se, que companhia nem sempre significa segurança, e começa a aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança; aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo, e aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... Aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais,e descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida; aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida, e que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que eles mudam; percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influências sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve compará-los com os outros, mas com o melhor que podem ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde se está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que ou você controla seus atos, ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados. Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a, pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se; aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou; aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que quando se está com raiva se tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém; algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás, portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores...
Aprende que realmente pode suportar, que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.

Descobre que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."


William Shakespeare

sábado, 26 de setembro de 2009

Não sou louco, maaaas....

....às vezes falo com Drummond.


P.S. Eu ia ficar horas e horas fazendo uma montagem, mas o pior é que encontrei fácil essa imagem aí.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

É bem assim que se diz:


O Amor é quase quietude, é um doce suspense

Está quase presente na sempre mudez dos olhos nos olhos

É um silencio ensurdecedor

Homens românticos falam baixo são quietos quase sombras talvez brisas

Aos não românticos resta gritar depõem em alto e bom som

O que de fato jamais será Amor

São quase tolos

Então se amas meu bom homem

Quando o céu pintar-se de negro estrelado

Não grite e não se desespere

Mas olhe fixo e sem medo nos olhos da Amada e quase chore baixinho:

EU TE AMO.

domingo, 20 de setembro de 2009

.

Se vem de dia me da energia
Se vem de noite me tira o sono
E conseqüentemente apaga o sonho
Que deveria se acender no pagar das luzes

CAFÉ

sábado, 19 de setembro de 2009

Altruísta

Nesses dias frios vesperando a primavera
Parece tudo dar errado, mas fico à espera
Pode ser que venha algo belo como flor
Quem sabe a gente se encontre e desencontre qualquer dor

E enquanto estou nessa espera que quase desespera
Fico com a sede da sua boca, dos seus beijos
Fico com essa vontade de fazer você feliz, sorrir
De acabar com seus medos e suprir seus desejos

Quero saber o que faz de teus olhos oceanos tão profundos
Fazem-me afogar em pensamentos e ir fundo, ir fundo e fundo
Quero-te e nem é por mim é por você
Muitos dirão: ”mas que nobre querer”

Fico nessa espera, e você muda, sem respostas
Fico confuso, e você não quer ouvir propostas
Só porque me quis quando não tinha pra dar e não me tinha pra ser
Só queria que soubesse que guardo o melhor pra você

E nessas noites frias vesperando a primavera
Não posso ficar tão só, mas junto fico à sua espera

Deixe-os voar


Pássaro pequeno meu, que foi tão duro e tão frágil
tive medo quis resguardar-te, pois o Vento é ardil
Prendi-te e não aprendeste a voar
e num bater de asas enganou-se no ar

Cruzou as nuvens sorriu, subiu, subiu e subiu
Feliz foi por alguns segundos por ver metade do mundo
Não soube voar pra frente e então Pássaro, você caiu
E tudo porque te prendi nessa gaiola que é meu peito, fui tão hostil

Mas agora que sabe o segredo do Vento
Não te impeço desse seu lindo intento
Voe alto e voe em frente prezo por ti em cada momento

Pássaro pequeno meu, já não tem tanta dureza
Oh! Pequena Ave seu canto não é mais de pranto
Contudo tenha cuidado o Vento é ardil e você ainda é frágil

Meu Senhor

O Tempo, esse senhor
De tudo é transportador
Põe-nos em ponto de espera
Leva o inverno e devolve a primavera

Queria voltar, quero parar, quereria avançar
Quero dançar com o tempo e com o tempo dançar
Mas se tudo que foi não pode mais ser
Que seja assim tatuado em meu ser

E se a musica parou agora
A festa acabou foram embora
Não posso estagnar nessa hora
Um mundo gigante é o Tempo lá fora

Se já pudesse ver os obstáculos e aquela curva
A qual todos nós curvar-nos-emos
Viveria restrito e com medo
Mas que graça terá se eu errar menos

O Tempo, esse senhor
Cria montanhas seca oceanos
É poesia de Shakespeare
E é Beethoven no piano
Transportador de toda fé e ciência
Tira-nos a lucidez dando-nos a consciência

Esse gentil criador
Que em um instante
Torna-se um tirano destruidor

E quando traz a tempestade
E bota um coração acelerado no peito desse sujeito
E uma estranha luz chega aos olhos meus
Sei, deus é Tempo e o tempo é Deus




A Canoa

Em um largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para outro.Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora. Como quem gosta de falar muito, o advogado pergunta ao barqueiro:
- Companheiro, você entende de leis?
-Não – Responde o barqueiro.
E o advogado compadecido:
-É pena, você perdeu metade da vida!
A professora muito social entra na conversa:
-Seu barqueiro sabe ler e escrever?
-Também não. – Responde o remador.
-Que pena!-Lamenta-se. – Você perdeu metade da vida!
Nisso chega uma onda bastante forte e vira o barco.O canoeiro preocupado, pergunta:
-Vocês sabem nadar?
-Não! – Respondem eles rapidamente.
-Então é uma pena – concluiu o barqueiro– Vocês perderam toda a sua vida!


“Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes.”



Paulo Freire

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

.


















"Uma mulher tem que ter
Qualquer coisa além de beleza
Qualquer coisa de triste
Qualquer coisa que chora
Qualquer coisa que sente saudade
Um molejo de amor machucado
Uma beleza que vem da tristeza
De se saber mulher
Feita apenas para amar"
e Ela tem.

sábado, 12 de setembro de 2009

SIMULTANEIDADE


- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus!

Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!

- Você é louco?

- Não, sou poeta.


Desabafo entre amigos


Oh
O seu corpo desembainhado assim me faz delirar
E fico assim como uma criança de encontro ao mar
Nossos olhos de anseio, repletos
Os meus toques em seus seios, completos

A minha mão a decorar a anatomia do seu corpo
Você a suspirar, gemer e até mesmo gritar, eu louco
É quase um sossego e quase um desespero
É sentir em toda a alma e no corpo inteiro

Oh
E então é doce quando é chegado o fim
Seu olhar oceano que é só pra mim
Quem dera se a eternidade fosse assim

E então é doce quando é chegado o fim
Lá fora Apolo amanhecendo mais um dia
E foi só uma noite que restou numa poesia