sábado, 19 de setembro de 2009

Meu Senhor

O Tempo, esse senhor
De tudo é transportador
Põe-nos em ponto de espera
Leva o inverno e devolve a primavera

Queria voltar, quero parar, quereria avançar
Quero dançar com o tempo e com o tempo dançar
Mas se tudo que foi não pode mais ser
Que seja assim tatuado em meu ser

E se a musica parou agora
A festa acabou foram embora
Não posso estagnar nessa hora
Um mundo gigante é o Tempo lá fora

Se já pudesse ver os obstáculos e aquela curva
A qual todos nós curvar-nos-emos
Viveria restrito e com medo
Mas que graça terá se eu errar menos

O Tempo, esse senhor
Cria montanhas seca oceanos
É poesia de Shakespeare
E é Beethoven no piano
Transportador de toda fé e ciência
Tira-nos a lucidez dando-nos a consciência

Esse gentil criador
Que em um instante
Torna-se um tirano destruidor

E quando traz a tempestade
E bota um coração acelerado no peito desse sujeito
E uma estranha luz chega aos olhos meus
Sei, deus é Tempo e o tempo é Deus




Nenhum comentário: