domingo, 29 de novembro de 2009

Mude


Sou poeta nas horas vagas
Vagantes em minha cabeça
Tão castas essas horas vastas
Que são vastas essas horas castas

Sou poeta de tempos em tempos
Como os ventos me reinvento
Eu mudo o mundo, mudo de casa, eu me mudo
Agora por exemplo mudei-me, sou mudo

4 comentários:

Mariana Frazão disse...

Nossa que saudade de ler teus textos e poesias...
ameeei esse *-*
:*

- Lorenna R. disse...

Tenho medo de mudanças. Elas são importantes demais para serem renegadas, e tão irrelevantes, ao mesmo tempo.. mas podem levar qualquer um a ser o que qr, ou o q não qr.

Erika. disse...

Adorei, cara.
Muito bom.

EuAcaH disse...

mudas muito mesmo mais não totalmente isso é imposevel um dia vc volta a falar!!

BJOOs ;D