sábado, 27 de fevereiro de 2010

É apaixonante sofrer pelos outros


É apaixonante sofrer pelos outros. De qualquer forma mesmo. Seja sofrer por quem nos apaixonamos ou amamos. Sim todos sabemos que são coisas distintas. Paixão é passageira e, por exemplo, pode nascer antes mesmo de você conhecer a pessoa e morrer logo na primeira conversa. Já o amor supera qualquer coisa, aceita os defeitos, exalta as qualidades e entende que ninguém é perfeito e que sempre vai faltar algo na pessoa amada para essa perfeição, acabando com as expectativas, é, o amor aguenta até isso, às vezes com grande dor. Porém o amor necessita da paixão e de sua morte para acontecer, mas estas explicações de amor e paixão são pra outra hora. O que é um importante dizer é que nos apaixonamos por toda dor que fingimos inconscientemente quando estamos apaixonados e por toda real e “indesejável” dor que sentimos quando magoados ou não correspondidos por quem amamos. Se vocês acham que estou errado, me digam quantas vezes não escutaram por querer a música que lhes faziam lembrar e chorar soluçando por seus amores. Ou quem sabe os homens não encheram a cara dizendo que bebiam pra esquecer alguém e que no fundo sabiam que só iriam lembrar-se da pessoa enquanto bêbados. É viciamos mais em sofrer por amores e paixões do que por eles mesmos.
É apaixonante sofrer pelos e com os amigos. Saímos (saio) junto com eles enchemos a cara, rimos e vem alguma parte em que um de nós desabafa sobre um antigo amor, um problema de saúde ou um problema familiar. A partir desse momento todos se sentem emotivos por aquele amigo. Há os que ficam por perto e também os que saem quase correndo. Os que ficam até o fim se apaixonam pelo sofrer do amigo e ama sofrer junto a ele. E estes são os verdadeiros amigos: os que ficam.
Apaixonamos-nos de uma forma mais nobre quando lutamos por uma causa. Fazemos qualquer coisa por quem, muitas vezes, nem ao menos conhecemos. Damos a cara à tapa, a pele ao suor e trocamos os dias por noites pelos pobres e outros perdidos na sociedade como deficientes e dependentes químicos. Gostamos muito e nem ligamos de sofrer por uma causa que, tire muito da gente para ceder a quem precisa.
Chega a ser absurdo a paixão de sofrer por um filho, um irmão, um pai ou uma mãe. Não há dor maior que perder um familiar. Veja uma mãe que perde um filho esse acontecimento que quebra totalmente o ciclo da vida. Um filho não deveria jamais partir antes de sua mãe ou de seu pai. Espero que um dia Deus tenha uma boa explicação para isso. Uma mãe que perde um filho, nunca mais será a mesma, pois demonstra sua paixão pelo sofrer para que percebamos o quão grande e devastadora é a sua dor.
No fim, nós, seres humanos, somos apaixonados por sofrer. Shopenhaureanamente* falando nascemos e vivemos para sofrer. O ser humano tem um vazio imenso e insaciável de sofrer.
Jesus amou sofrer por nós e talvez Deus tenha nos dado seu primogênito, como exemplo para que aprendêssemos amar até o sofrimento por alguém.

*Arthur Schopenhauer (Danzig, 22 de Fevereiro 1788 — Frankfurt, 21 de Setembro 1860) foi um filósofo alemão do século XIX da corrente irracionalista. Sua obra principal é O mundo como vontade e representação, embora o seu livro Parerga e Paralipomena (1851) seja o mais conhecido. Schopenhauer foi o filósofo que introduziu o Budismo e o pensamento indiano na metafísica alemã. Ficou conhecido por seu pessimismo e entendia o Budismo como uma confirmação dessa visão. Schopenhauer também combateu fortemente a filosofia hegeliana e influenciou fortemente o pensamento de Friedrich Nietzsche.

“ A essência da existência é a dor.”
Arthur Schopenhauer

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Arthur_Schopenhauer

................................................................................

Em dias nublados escrevo cada coisa. rs

4 comentários:

Lelly disse...

Nunca tinha pensado nisso. Mas você está certo, adoramos sofrer. Mais do que isso, sofrer é indispenspavel pra todos, pra provar que você se importa. A vida pode ser perfeita, se não precisar sofer por si mesmo, agente sofre pelos outros. Por vítimas de terremotos, por desconhecidos na rua. Sofrer nos deixa mais vivo, mais conectado com o mundo de algum jeito. E dá aquela esperança de que tudo vai melhorar. Sofrer é viver *-*
ameei o texto, mto mesmo.

Robinho disse...

Nossa é muito sofrimento pra uma pessoa só... Mas com certeza é a mais pura realidade.. Achei super interessante você ter ressaltado a parte de que muitas vezes sofremos para ajudar uma pessoa necessitada, e pelo ato de caridade nem percebemos que de certa forma sofremos por isso.. E digo mais, enquanto o sofrimento for para o bem de nossos irmãos/ semelhantes.. Vale a pena sofrer... Como você mesmo disse, vale a pena lutar por esta causa...

Parabéns pelo texto meu amigo!!

mais amor, por favor. disse...

Parece que o sofrimento nos prende. Parabéns! Beijos

- Lorenna R. disse...

Oii, sou a mocinha daquele blog, a q tava fazendo falta, lembra ? kkkkkkkkk,

É q aconteceu muita coisa, tipo eu me mudar de estado. Aí teve todo aquele processo de mudança, despedida, lembrança, choro, riso e cia.

Talvez - só TALVEEZ :) - eu concorde com vc sobre nós gostarmos de sofrer. Já me peguei ouvindo Oceano, de Djavan só pra lembrar. Talvez pq chorar me faça desabafar td aquilo q eu ñ consegui fazer nem falar.

Beeeijo!