sexta-feira, 19 de junho de 2009

Palavras que perduram

Esse post é do meu blog abandonado e achei uma boa ideia transferi-lo pro novo.
Bem ruim, mas que eu gosto dele.





Polegar opositor = Inteligência?

Ouvi dizer que feliz é o rico e que infeliz é o pobre, bobeira. Acredito que só é impossível a partir do momento que você acredita não ser mais possível. Já cheguei a acreditar no incrível e fingi não acreditar no que estava na minha frente, no que era crível. Ontem eu era um cara irresponsável, hoje eu sou qualquer coisa, menos responsável. Quando era pequeno pensava que podia tudo, que tudo era infinito, mas descobri que só o pensar não é finito.Até hoje o perfume daquela garota, que disse que minha alegria é perturbada, é inconfundível e os odores das outras garotas que nunca me observaram afundo, são bem confundíveis ainda mais depois do comercial do O Boticário, aquele com o poema da rotina. Eu sou um mero mortal e o Deus em quem acredito é imortal, talvez devesse ter começado o texto com esse período, porém acho que Ele não liga pra isso, pelo menos Ele não disse nada, aliás, Ele nunca diz nada. Antes eu era imutável achava que se não fosse, seria uma cara sem opinião formada, agora sou mutável e sei que você só é um “sem opinião” se for constantemente “mutável inconstante”. Às vezes acho que quando agimos inconscientemente, não estamos sendo conscientes de que estamos sendo nós mesmos, isso conscientemente falando.Quando uma pessoa se torna independente as coisas vão ficando bem mais difíceis, entretanto os jovens só percebem isso quando é tarde demais para voltarem a ser dependentes de seus pais ou responsáveis. Alguns destes mesmos jovens não percebem o quanto são imaturos e saem por ai bebendo, dirigindo em alta velocidade e correndo vários outro perigos, muitas vezes botando em risco a própria vida, e pior a vida de que realmente é maturo. Até hoje acho algumas coisas incompreensíveis, como o porquê de os direitos humanos serem tão compreensíveis com alguns lixos que vão pra cadeia. Uma coisa intolerante é ver que um homem que paga seus impostos e não tem retorno nenhum, é completamente tolerante com essa situação.
Agora depois de tantas palavras opostas gostaria de saber uma coisa, se nós Homens criados por um deus imortal, possuidores de um encéfalo altamente desenvolvido, polegar opositor e e com fechamento da mão em forma de pinça. Nós seres humanos que somos responsáveis por tanta fome, violência, morte, guerra, poluição e todos os outros substantivos que seguirem essa mesma ordem funesta, somos animais dotados de inteligência os outros animais são dotados de “teligência”?

4 comentários:

EuAcaH! disse...

éh pra que tanta inteligencia!!

se nos "HOMENS" não sabemos usar!!^^

BjOOcas

Renata Menezes. disse...

Ilha das flores é um bom documentário.
_

Então, bicho, eu não sei se 7 é o número da perfeição, é que a história foi baseada na vida de uma pessoa próxima a mim, então eu mantive as datas. Por mim, eu colocaria um "8 anos, 3 meses e alguns dias", qualquer coisa com menos exatidão e perfeição.
Obrigada pela indicação do filme e por se tornar um seguidor do nortimaginário.

donnanina disse...

... é, como diria Caetano " cada um sabe a dor e delícia de ser oq é..."

donnanina disse...

Nossa, eu piro em Augusto dos Anjos!
Não conheço (ou não lembro, rs) do "Psicologia de um Vencido", vou pesquisar...deve ser show tb.
Qual era o seu antigo blog? O deletou de vez?
Bjoss