terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Só de passagem

Passou por mim e eu ainda não sei o que foi
Como um Ciclone com mais de 8 graus de latitude
Que carrega casas e leva cidades inteiras ao chão
Arrastou-me pra longe me deixando sem atitude

Caiu sobre mim como uma Chuva mais pesada que o próprio céu
Foi dilúvio me afogando em minhas próprias incertezas
Relampejou, trovejou, fez do céu um inferno negro escondendo as estrelas
No rio de minhas dúvidas aumentou a correnteza

Do Vulcão adormecido de minha ira foi erupção
Lancei tal ira como lava aos céus imponente e temível
Destruí, queimei, causei danos irreparáveis
Passou e mesmo sem querer fiz um mal terrível

No solo estável que era o caminho que eu seguia
Estremeceu tudo como o maior Terremoto na escala Richter
Causou grandes perdas e desgraças
Me fez tropeçar, cair, não quis me levantar nem pude me conter

Por fim caiu como Nevasca, branca, fria! Como morrer
E me congelou dentro de mim fazendo-me duro e frio mais uma vez
Passou por mim causando total desequilíbrio e ainda não sei o que foi
Mas foi isso que fez

................................................................................

Vai saber.............

2 comentários:

Leticia LG disse...

Ás vezes grandes destruições representam grandes mudanças...

Mariana Frazão disse...

E tudo isso, pode ter certeza serviu pra você ser quem hoje é. Um dia tbm passo pela minha vida =]
beijoo :*